Marcos Pollon acompanha presidente em agenda na Capital

Depois de recepção a Bolsonaro, Marcos Pollon acompanha presidente em agenda na Capital

O pré-candidato a deputado federal Marcos Pollon (PL), juntamente com o governador Reinaldo Azambuja, a ex-ministra e deputada federal Tereza Cristina (postulante ao Senado pelo PP) recepcionou, o presidente Jair Bolsonaro (PL) na Base Aérea de Campo Grande, na manhã desta quinta-feira. Depois, todos seguiram para a entrega de apartamentos no Jardim  Canguru e, posteriormente, participaram da motociata.

Marcos Pollon havia tido audiência com Jair Bolsonaro no dia anterior, em Brasília. Na qualidade de presidente do PROARMAS, durante reunião na Capital federal, foi parabenizado pelo chefe do Executivo nacional por sua luta -pelo direito à legítima defesa com uma arma de fogo e outras pautas defendidas por ambos.

‘’Mais uma vez estamos nos encontrando’’, disse o presidente, ao desembarcar, a Marcos Pollon que estava acompanhado da esposa e dos filhos. Logo após, seguiram para inauguração do Residencial Canguru, onde foram entregues 300 moradias. O empreendimento integra o Programa Casa Verde e Amarela e conta com investimento total de R$ 29 milhões, sendo R$ 24 milhões do Governo Federal, por meio do FAR (Fundo de Arrendamento Residencial), e R$ 5 milhões em contrapartida do Estado. Além disso, houve doação do terreno em contrapartida do município.

Mais tarde foram para a motociata, e Marcos Pollon, acompanhado da filha, percorreu o trajeto na Avenida Afonso Pena, encontrou amigos e parceiros que demonstraram apoio à essa sua participação na política partidária.

Comissão Mista do Orçamento aprova LDO para 2023

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou nesta quarta-feira (29) o relatório final do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2023. A proposta segue para análise do Congresso Nacional.

 

A proposta determina as metas e prioridades para os gastos públicos do ano que vem e oferece os parâmetros para a elaboração do projeto de lei orçamentária (LOA) de 2023. O texto do relator, senador Marcos do Val (Republicanos-ES), torna obrigatória a execução das emendas de relator-geral do Orçamento, conhecidas como “orçamento secreto” ou RP 9. Esses recursos, que somam R$ 16,5 bilhões neste ano, podem chegar a R$ 19 bilhões no ano que vem.

 

O relator defendeu que a RP 9 seja obrigatória por considerar um meio para trazer recursos federais para estados e municípios. “Este recurso não é para o parlamentar, não é para ele colocar no bolso ou fazer qualquer coisa do tipo. Ele vai indicar o município, qual obra, qual serviço, enfim, a utilização deste recurso”, disse do Val.

 

O Poder Executivo tem até o dia 31 de agosto para enviar a proposta do Orçamento 2023 ao Congresso Nacional, com a descrição e destinação dos valores previstos para o ano que vem.

 

Transparência

 

Pelo texto aprovado na comissão, as indicações e a ordem de prioridade das emendas de relator serão realizadas não apenas pelo relator-geral do Orçamento como também pelo presidente da Comissão Mista de Orçamento em exercício neste ano. Atualmente, a assinatura das emendas RP 9 é feita apenas pelo relator-geral. Todas as indicações deverão trazer o nome do parlamentar solicitante, ainda que tenha sido apresentada por demanda de agentes públicos ou representantes da sociedade civil.

O texto do senador Marcos do Val incluiu dispositivos para aumentar o controle político e social sobre as transferências especiais. Nesta modalidade, que corresponde a R$ 3,3 bilhões das emendas individuais deste ano, os recursos são enviados diretamente ao caixa da prefeitura ou do estado beneficiado, sem finalidade definida e sem precisar que antes seja celebrado um convênio ou apresentado um projeto.

 

Teto de gastos

 

O texto aprovado permite que o Congresso Nacional utilize a projeção mais atualizada para o  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) 2022, com o objetivo de corrigir o cálculo do teto de gastos da União para 2023, que no projeto da LDO é estimado em R$ 1,711 trilhão.

 

Dessa maneira, não será mais necessário utilizar a projeção que deve ser informada pelo Ministério da Economia em 22 de novembro. A mudança também pode levar a um ajuste na meta de resultado primário, estimada em um déficit de R$ 65,9 bilhões.

 

Segurança Pública

 

O texto aprovado também autoriza a reestruturação e recomposição salarial da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Penitenciária, além das polícias Civil e Militar e bombeiros militares do Distrito Federal.

 

Também foi autorizado o provimento de cargos e funções relativos aos concursos vigentes dessas carreiras, até o montante das quantidades e dos limites orçamentários da lei orçamentária para 2023.

 

A proposta proíbe reajuste do auxílio-alimentação ou refeição e da assistência pré-escolar em percentual superior à variação acumulada do IPCA desde a última revisão de cada benefício.

 

*Com informações da Agência Câmara

 

 

AGÊNCIA BRASIL

MP aumenta margem do crédito consignado

A Câmara aprovou nesta quarta-feira (29) a medida provisória que aumenta o limite de crédito consignado para os assalariados e autoriza esse tipo de empréstimo também para quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC), a Renda Mensal Vitalícia (RMC) e o Auxílio Brasil. A MP segue para o Senado.

 

O parecer do relator, deputado Bilac Pinto (União-MG), ampliou de 35% para 40% a margem consignável dos empregados celetistas, servidores públicos ativos e inativos, pensionistas, militares e empregados públicos. Os aposentados do Regime Geral de Previdência terão a margem ampliada de 40% para 45%, mesmo valor aplicado a quem recebe BPC ou Renda Mensal Vitalícia.

 

Em todos esses casos, 5% é reservado para operações com cartões de crédito consignado.

 

Os beneficiários do Auxílio Brasil poderão fazer empréstimos de até 40% do valor do benefício, sendo que a responsabilidade sobre a dívida não poderá cair sobre a União.

 

O empréstimo consignado é concedido com desconto automático das parcelas em folha de pagamento ou benefício, sendo que o limite máximo que poderá ser comprometido pelo desconto em folha é a margem consignada. O cartão de crédito consignado funciona como um cartão de crédito na hora da compra, mas a dívida é descontada automaticamente do salário.

 

Segundo o relator, os financiamentos no Brasil têm juros altos, enquanto os créditos consignados oferecem taxas menores por serem descontados diretamente do salário ou benefício. “Como as prestações são descontadas automaticamente da folha de pagamentos, o risco de inadimplência passa a ser menor. Em consequência, as taxas cobradas dos clientes bancários são significativamente mais baixas do que em outras espécies de operações”, disse o deputado.

 

O texto aprovado também altera regras do Auxílio Inclusão Produtiva Urbana, criado junto com o Auxílio Brasil, para aquele beneficiário que conseguir emprego formal. O texto aprovado estabelece que o Auxílio Inclusão Produtiva Urbana tem caráter pessoal e temporário; não gera direito adquirido; e poderá ter o pagamento acumulado com outros benefícios, auxílios e bolsas do programa Auxílio Brasil.

 

* Com informações da Agência Câmara de Notícias

 

AGÊNCIA BRASIL

“Estamos juntos”, disse Bolsonaro ao lado de Riedel e de Tereza Cristina

Riedel e Bolsonaro conversaram durante todo o trajeto do aeroporto ao Jardim Canguru
O presidente participou hoje de inauguração em Campo Grande

 

O presidente Jair Bolsonaro e o pré-candidato do PSDB ao governo de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, conversaram durante todo o trajeto do aeroporto ao Residencial Jardim Canguru, onde participaram hoje (30) de inauguração na área da habitação. Riedel foi o único político sul-mato-grossense a acompanhar o presidente em seu veículo. “Estamos juntos”, disse o presidente ao lado de Riedel e de Tereza Cristina, que lidera a corrida ao Senado no Estado.
Pré-candidato do PSDB ao Governo, Riedel tem na ex-ministra de Jair Boslonaro – e líder isolada na disputa pelo Senado – uma parceira de primeira hora e importante elemento na concentração de votos para a dupla. É o que revelou a mais recente pesquisa de intenções de votos divulgada pelo instituto Novo Ibrape, realizada entre 14 e 19 de junho.

 

O levantamento ouviu três mil sul-mato-grossenses de 28 municípios, e mostra que Riedel ultrapassou Rose Modesto, assumindo a terceira colocação, com 13,7%, atrás apenas de André Puccinelli, com 22,1% e Marquinhos Trad, com 21,5%. Apesar da terceira colocação, Riedel é o candidato com a menor rejeição e a maior perspectiva de crescimento no cenário estadual.
Na mesma pesquisa, Capitão Contar amargava minguados 6,6% dos votos. O candidato do PRTB esperava ser o representante de Bolsonaro em MS, mas a excelente relação de Riedel com Tereza Cristina (um dos nomes fortes que passaram pelo Governo Federal) consolidaram o voto deste eleitorado que se concentra em torno da pré-candidatura do ex-secretário estadual de Governo e de Infraestrutura.

 

Outra excelente notícia para a candidatura de Riedel é a liderança de Tereza na disputa pelo Senado. Ela acumula 30,8% das intenções de voto, seguida por Odilon de Oliveira, com 21% e Henrique Mandetta.

 

A pesquisa do Novo Ibrape também apontou a preferência do eleitorado na disputa pela presidência da República. O presidente Jair Bolsonaro está na frente com 41,1%, seguido por Lula, com 33,6%. Simone Tebet vem em terceiro lugar (8,6%), seguida por Ciro Gomes (5,1%).
A pesquisa do Novo Ibrape foiw registrada no TSE sob o número MS-06447/2022 e BR-08519/2022. A margem de erro é de 1,8%.

 

 

Riedel aposta na qualificação profissional

“Qualificação profissional é a chave do desenvolvimento’, afirma Eduardo Riedel
Em entrevista à Blink FM, pré-candidato falou de seus projetos para o MS

 

O pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Riedel, foi entrevistado na segunda-feira(27) pelo jornalista Tatá Marques no programa ‘Café com Blink’, falando sobre sua carreira e as principais propostas que serão apresentadas a população do Mato Grosso do Sul.
Riedel começou falando sobre os motivos que o levaram a se candidatar ao Governo do Estado. Segundo ele, a decisão foi fruto de sua história de vida e de um longo trabalho de gestão na iniciativa privada e na vida pública que o levou a representar um novo modelo de gestão de trabalho. “Não sou um político de carteirinha, com nome e sobrenome, não é meu perfil. Represento um novo modelo de trabalho. Sou empresário e produtor rural, dediquei minha vida à minha formação e aos negócios da minha família, e também trabalhando pelo coletivo em instituições. Passei pelo Sindicato Rural de Maracaju, pela Famasul, fui vice-presidente da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), presidi o SENAI, além de ter tido a grande experiência à frente das secretarias estaduais de Governo e de Infraestrutura nos últimos sete anos. Tudo isso é um acúmulo de conhecimento, preparo e determinação para trabalhar pelo coletivo”.

 

Um dos pontos mais importantes da entrevista girou sobre os planos de Riedel para a geração de empregos e a qualificação profissional. Segundo ele, Mato Grosso do Sul tem hoje cerca de 20 mil vagas de empregos abertas devido ao bom ambiente de negócios e de atração de empresas e indústrias criado no últimos anos. No entanto, os empresários dizem que não conseguem ocupar estas vagas. Por que isso ocorre? Riedel explica.

 

“Quando olhamos o perfil destas famílias que hoje dependem de ajuda do Governo e cujos membros, muitas vezes, estão desempregados, vemos que o erro ocorreu lá atrás, no processo histórico, de formação e qualificação profissional de toda uma geração. Não podemos errar de novo. Como resolver? Não tem outro caminho: educação, capacitação, qualificação dos sul-mato-grossenses, especialmente dos jovens. Temos que massificar este processo, para que estas oportunidades que dão dignidade e renda sejam aproveitadas. Este é o grande desafio e temos condições de enfrenta-lo. Apesar de MS ter a 3ª menos taxa de desemprego do país, muita gente está desempregada por falta de qualificação. Vamos buscar alternativas para estas pessoas”, assegurou.

 

MUNICIPALISMO

 

Riedel também explicou o conceito de “Municipalismo”, que conduz suas práticas de gestão. “Há 45 anos todos falam disso. Mas nos últimos sete anos nós colocamos este conceito em prática no MS. Municipalismo é definir prioridades para cada município e aplicar investimentos para que estas prioridades sejam atendidas. Isso destrava os gargalos dos municípios. Nosso plano de governo é individualizado para cada município, pois sabemos as angústias de cada um deles. Sabemos a demanda de cada um”.

 

O pré-candidato explicou como a Municipalismo tem afetado a Saúde e a Educação no MS, e o que vem por aí ainda. Segundo ele, a interiorização da Saúde é um exemplo desta estratégia. “Assumimos um governo com 500 mil pessoas na fila de procedimentos, por isso realizamos a Caravana da Saúde. Depois tivemos a pandemia, que comprometeu o sistema de saúde, mas que foi enfrentada com investimentos sólidos. Na semana passada vimos a inauguração do Hospital Regional de três Lagoas. O de Dourados está em andamento me o de Ponta Porã já está funcionando. Isso fez com que o atendimento de pacientes do interior em Campo Grande caísse de 45% para 9%”.

 

Qual o próximo passo? Riedel explica. “Vamos concluir a interiorização e atacar uma das principais causas da insatisfação das pessoas: a atenção básica, o posto de saúde que está caindo aos pedaços, as pessoas aguardando horas na fila, sem médico para atender. Tem municípios que fizeram o dever de casa e dão show na atenção primária, com mais de 95% de cobertura, e tem municípios que não fizeram bem este trabalho. Vamos ter que cobrar duramente este resultado, pois eles são o início da complexa administração da saúde”.

 

Na educação, Eduardo Riedel destacou o processo de ampliação da educação em tempo integral. Para ele, trata-se de uma grande ferramenta de transformação. “Estamos com 40% dos alunos estudando na rede de tempo integral. Temos o MS Alfabetiza, ajudando os municípios com formação continuada de professores e material didático para alfabetizar nossas crianças com qualidade. Temos também o MS Matemática, com apoio financeiro e recursos técnico aos municípios. Isso é fruto de uma gestão municipalista”, explica.

 

Outra grande transformação destacada por Riedel na educação é a rede de infovias digitais, com 7 mil km de fibra ótica, que será instalada no Estado e que terá um impacto enorme no setor.

 

 

População abraça projeto de Diogo Bossay

População abraça projeto de Diogo Bossay por vaga na Assembleia Legislativa

Pré-campanha agita redes sociais e põe o médico em contato com todos os segmentos da sociedade nos municípios visitados

 

Adão Jorge

Por onde quer que ande, o pré-candidato emedebista Diogo Bossay é abraçado pelas pessoas, numa demonstração inequívoca de apoio e confiança depositados em seu projeto político, cujo foco central é a saúde dos sul-mato-grossenses.

Convocado pelo pré-candidato André Puccinelli (MDB) a buscar uma vaga na Assembleia Legislativa, Diogo percebeu que seu ‘sim’ ao convite foi ao encontro do anseio do povo, principalmente do sudoeste, carente de um líder político na região.

A partir daí, os apoios começaram a chegar de todos os lados, de todas as formas e de vários municípios. Seja nas cidades, sítios ou fazendas, famílias inteiras estão aderindo à pré-campanha, como por exemplo o pessoal da fazenda Aracuã, em Miranda.

Moradores da fazenda Aracuã, em Miranda, expõem adesivos do pré-candidato. (Foto: Divulgação)

SAÚDE 

Seja em entrevista na Capital ou no interior, o pré-candidato Diogo Bossay tem reforçado seu compromisso de fazer um diagnóstico real da saúde em Mato Grosso do Sul para evitar que as pessoas se desloquem para outra cidade por falta de um simples exame.

“Temos que virar essa página. Não podemos mais aceitar no interior do nosso Estado a falta de equipamentos básicos para um exame, seja numa cidade de 3000 mil ou 100 mil habitantes”, desabafa Diogo.

Mas a saúde é apenas uma das preocupações do pré-candidato Diogo Bossay. Incorpora-se ainda o desenvolvimento econômico, sem o qual é impossível criar empregos e distribuir renda, habitação e o turismo, seja de pesca ou de contemplação.

“Em nosso projeto se incorpora tudo aquilo que traz benefícios ao povo, razão maior dessa nossa caminhada rumo ao Parlamento”, enfatiza o pré-candidato, que continua visitando diversas cidades do sudoeste.

Walter Carneiro Júnior fortalece bases

Walter Carneiro Júnior reforça importância do comprometimento de cada um em sua pré-campanha

Pré-candidato do PP a deputado federal, ex-presidente da Sanesul enaltece trabalho dos apoiadores e da militância rumo à vitória.

 

Willams Araújo

 

O advogado Walter Carneiro Júnior enalteceu nesta terça-feira (28) a participação de seus apoiadores em sua pré-campanha a deputado federal, reforçando a importância do comprometimento de cada um em sua caminhada rumo à Câmara Federal.

 

“Salve meus amigos de Mato Grosso do Sul. Quero agradecer a participação de cada um de vocês nesse grande trabalho que nós estamos fazendo pelo Estado, adesivando carros, visitando famílias nessa pré-campanha a deputado federal. Nós estamos construindo um lindo trabalho e depende da força e do comprometimento de cada um. Vamos juntos que a vitória é nossa”, incentivou ele, em grupos de WhatsApp de amigos e seguidores e em outras plataformas digitais.

 

A orientação do comando da pré-campanha do progressista é que todos continuem com a mesma pegada, intensificando os trabalhos, tanto em Campo Grande quanto no interior do Estado, a fim de fortalecer seu projeto político que é substituir a deputada federal Tereza Cristina (PP-MS), ex-ministra da Agricultura, na Câmara.

 

O projeto inclui a eleição de Eduardo Riedel (PSDB) à sucessão do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e Tereza Cristina ao Senado, além de uma forte bancada na Assembleia Legislativa e na Câmara.

Apesar de seu currículo invejável, Walter Carneiro Júnior ganhou densidade política e maior visibilidade devido à gestão de destaque na presidência da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso Sul), quando investiu mais de R$ 527 milhões nos 68 municípios onde a companhia é concessionária dos serviços públicos de fornecimento de água tratada e esgotamento sanitário.

 

Desde que deixou o comando da empresa, no começo de abril, o pré-candidato tem retornado  à várias regiões do Estado, onde conta com importantes parceiros, incluindo prefeitos, vices, ex-prefeitos, vereadores, secretários municipais, para dizer que seu desejo é continuar atuando em favor dos municípios, desta vez, em Brasília, de onde pretende trazer recursos para investimentos em diversos setores da administração pública.

 

O pré-candidato cumpre uma extensa de agenda de visitas ao interior e também tem se reunido na Capital para expor sua bandeira e ouvir sugestões da população.

 

Na semana passada, por exemplo, ele esteve no tradicional Arraial do Banho de São João, em Corumbá, participando inclusive da descida do andor até as águas do Rio Paraguai, juntamente com Riedel, amigos e a comunidade local.

 

Essa movimentação no período pré-eleitoral é permitida com base na lei nº 13.165, instituída em 2015. O que é proibido, segundo as regras do jogo, é o pedido expresso de voto, mas os políticos estão liberados para reuniões e outras atividades antes mesmo da realização das convenções partidárias que vão de 20 de julho a 5 de agosto.

 

MOTIVAÇÃO

 

O ex-dirigente entende que um dos fatores de sua grande motivação na luta por uma das oito cadeiras a que Mato Grosso do Sul tem direito na Câmara é justamente a mobilização  voluntária de amigos e apoiadores.

 

Aliás, a projeção de alto índice de renovação na Câmara, a partir da próxima legislatura, também que tem movimentado os bastidores dos partidos e o eleitorado em busca de um melhor representante.

 

Levantamento recente do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) indica que metade dos deputados federais eleitos em 2018 não deve conseguir renovar seus mandatos.

Pollon esclarece população sobre leis armamentistas

Referência em leis armamentista, Marcos Pollon faz palestra em Mundo Novo

 

Marcos Pollon (PL), referência em leis armamentista e pré-candidato a deputado federal, palestrou ontem (27) sobre Segurança no Campo e Defesa Urbana. Além disso falou sobre armas de fogo, direitos e deveres no Clube Magnus de Tiro Esportivo, em Mundo Novo (MS). O objetivo é informar  Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CACs) e população em geral sobre as leis que regem a regulamentação das atividades.

 

Participaram mais de 60 pessoas, tanto associados do clube como produtores rurais, advogados, funcionários públicos e autoridades locais. Em quase duas horas de palestra, muitos tiraram suas dúvidas, principalmente sobre o transporte de armas de fogo.

 

O radialista, diretor do departamento de trânsito e funcionário da Defesa Civil de Mundo Novo, César Filho, ficou muito surpreso, assim como os novos CACs. “O doutor Marcos Pollon é uma pessoa muito importante nessa área de armamento, dos clubes de tiros, trazendo bastante informações. Eu acho que é positivo a presença do dele em qualquer lugar do Brasil. Ele frisou muito bem a importância de nós possuirmos armas aqui na região. Muitas dúvidas foram tiradas aqui nessa palestra que foi de suma importância”, afirmou.

 

Já o presidente do Clube Magnus de Tiro Esportivo, José Antônio Ferreira, achou a palestra muito produtiva. “Nós estamos muito contente com a presença do Marcos Pollon aqui, espero que volte outras vezes. Ele trouxe muitos conhecimentos que a gente ouve falar, mas não temos certeza e hoje nós ouvimos da boca do Marcos Pollon o que é e o que não é verdade. Ele é o maior conhecedor das leis armamentista”.

 

 

Câmara retoma sessões remotas

O Plenário da Câmara dos Deputados se reúne nesta segunda-feira, às 17 horas. Os deputados decidiram realizar sessões todos os dias da semana para acelerar a contagem de prazos de tramitação do piso nacional da enfermagem (PEC 11/22) e de incentivos fiscais para biocombustíveis (PEC 15/22).

 

As duas propostas só podem ser analisadas passado o prazo mínimo de 10 sessões destinado à apresentação de emendas. A Mesa Diretora determinou que, até o final de julho, serão permitidos o registro de presença e votação remota.

 

 

A pauta desta segunda-feira tem mais de dez itens, que poderão ser analisados ao longo da semana. Os deputados poderão votar, por exemplo, a Medida Provisória (MP) 1106/22, que autoriza empréstimo consignado aos beneficiários do Benefício da Prestação Continuada (BPC) e do Auxílio Brasil, além de ampliar para 40% o percentual da renda que pode ser destinada a essa modalidade de empréstimos.

 

Os parlamentares também vão discutir mudanças nas relações de trabalho. Estão na pauta a MP 1108/22, que regulamenta o teletrabalho e muda regras do auxílio-alimentação; e a MP 1109/22, que institui medidas trabalhistas alternativas para vigorar durante estado de calamidade pública decretado em âmbito nacional, ou estadual e municipal reconhecidos pelo governo federal.

 

Outro tema de destaque da agenda do Plenário é o Projeto de Lei 1561/20, dos deputados Capitão Wagner (União-CE) e Guilherme Mussi (PP-SP), que autoriza o Poder Executivo a criar uma loteria chamada de “Loteria da Saúde” para financiar ações de prevenção, contenção, combate e diminuição dos efeitos da pandemia de Covid-19.

 

 

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias