Bossay defende o municipalismo e suas ferramentas

Com visão municipalista, Diogo Bossay destaca  a importância dos consórcios públicos no Estado

Ações integradas entre eles barateiam o custeio dos municípios na aquisição de bens e serviços

Adão Jorge

 

Pré-candidato a deputado estadual pelo MDB e representante da região sudoeste, o médico Diogo Bossay é um defensor do municipalismo por entender que todos os problemas que mais afligem a população sempre desaguam lá na ponta, ou seja, nos municípios.

 

Diante dessa realidade, ele vê os consórcios públicos intermunicipais como uma ferramenta necessária para uma melhor distribuição dos recursos alocados entre as diversas ações de melhoria na vida da população de cada região de Mato Grosso do Sul.

 

Programas como aterro sanitário consorciado – onde os municípios destinam seus resíduos sólidos -, compras compartilhadas de medicamentos, material escolar, combustível, aquisição de equipamentos de informática, manutenção de estradadas vicinais, entre outras itens que barateiam o custeio dos municípios.

 

“É importante garantir o fortalecimento desses consócios porque a principal beneficiada é a população”, afirma o pré-candidato, ao sinalizar que, se eleito, pretende destinar parte de suas emendas para atender o maior número de pessoas por meio dessas instituições, especialmente às que atendem a sua região.

Entres esses consórcios está o Cidema, autarquia responsável pelas bacias dos rios Miranda e Apa, na região sudoeste, tendo como municípios ativos Miranda, Bodoquena, Bonito, Aquidauana, Anastácio, Nioaque, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Caracol, Porto Murtinho e Bela Vista.

 

Os demais consórcios atendem os municípios localizados no Norte, por meio do Cointa, Costa Leste, pelo Cidecol, Vale do Ivinhema, com o Codevale, extremo sul, pelo Conisul e, por último, a região de fronteira, com a criação do Sul-Fronteira.